15/12/2014 // Viagens

A boa Lisboa – Parte 3

Falarei do lugar mais mágico e encantador que já fui até hoje: Sintra.

foto 2

Distrito de Lisboa, essa linda vila é uma joia rara da região composta por construções que contam, praticamente, toda a história de Portugal desde os primórdios. Castelos magníficos, bosques e casas fascinantes tornam Sintra ainda mais especial.

foto 7

Como o clima no período que viajei não estava ajudando, infelizmente, usei um único dia da viagem para conhecer a região. Para quem tiver interesse em visitar Sintra já recomendo: pelo menos dois dias, e de preferência com tempo bom.

foto 1

No outono, o dia anoitece antes e a neblina já vai chegando por volta das 4 da tarde.

foto 4

Reservei, nesta incrível visita, dois palácios que, dentre todos, me chamaram mais atenção: A Quinta da Regaleira e o Palácio de Monserrate. Os dois são lindos de viver!

foto 8

A Quinta da Regaleira possui uma arquitetura mística, que faz referências ocultistas à maçonaria, aos celtas e templários e tem um jardim fantástico com lagos, várias passagens secretas e monumentos sensacionais.

foto 6

O poço iniciático, como é chamada a torre invertida construída para dentro da terra em nove andares, dá caminho a muitas dessas passagens secretas, e é a principal atração da Quinta. Parece cenário de filme da Idade Média!

foto 9

O Palácio de Monserrate, localizado no Parque de Monserrate, foi residência de verão de uma tradicional família inglesa, e teve seu projeto, desde o parque até o palácio, executado por grandes nomes das respectivas áreas naquele período.

foto 5

Conta com uma construção exuberante e romântica e remete muito ao período mouro. Teve como visitante, em 1809, o então ilustre poeta anglo-escocês Lord Byron; e seus encantos por Sintra serviram de inspiração para o poema “Childe Harold’s Pilgrimage”.

foto 3

Para finalizar um dia como esse, nada melhor que saborear uma iguaria super tradicional da região: os travesseiros de Sintra! Magia pura!

Por Manuela Alarcon

Fotos: Manuela Alarcon

Nenhum comentário » A boa Lisboa – Parte 3

Deixe seu comentário