01/12/2014 // Viagens

A boa Lisboa – Parte 1

Olá, Valentinas! Sou a Manu Alarcon, vitrinista de profissão e viajante nas horas vagas, apaixonada por fotografia e por compartilhar felicidade por aí! Fiquei muito feliz com o convite da Valentina Mag para contar um pouquinho da minha última e maravilhosa experiência, e espero que vocês gostem!

Segui para Lisboa com apenas 3 semanas de antecedência, sem roteiros e não esperando muito do lugar. De fato, me surpreendi muito positivamente! Lisboa é encantadora em muitos aspectos: a cidade é nostálgica com sua arquitetura e com seus azulejos que pararam no tempo – que hoje estão sendo revitalizados (algo que pode ser notado em vários pontos da cidade) -, a hospitalidade dos lisboetas, o clima mais ameno da Europa, e, claro, a gastronomia maravilhosamente diversificada e saborosa que nos deixa em estado de contemplação a cada refeição. E é disso que começarei a falar hoje.

4

Além do bacalhau que é, de fato, algo tipicamente português, existem os Pastéis de Belém ou de Nata (o nome Belém e a sua receita são patenteados pela tradicional doceria portuguesa, localizada na região com mesmo nome do doce).

6

Esses adorados pastéis são encontrados na região de Belém, na loja Pastéis de Belém e em toda Lisboa, nos restaurantes e cafés, e há muitos lugares com pastéis tão bons quanto o genuíno.

Processed with VSCOcam with m5 preset

Por sinal, existe uma forma de saber se o pastel segue a receita tradicional: ao virarmos o doce de cabeça para baixo (pode fazer sem medo, pois o creme é bem consistente e não cai), a massa do fundo precisa estar em um formato de redemoinho, fazendo um caracol de linhas. Isso garante que ela foi folheada corretamente. É uma verdadeira delícia e merece ser degustada inúmeras vezes durante a viagem.

5

Outra maravilha em Lisboa são os mercados regionais, que lembram o mercado municipal de SP, só que mais moderninhos e gourmets. Visitei o Mercado da Ribeira, localizado na região do Cais do Sodré, e o Mercado de Campo de Ourique. Os dois são sensacionais, com muitas opções para uma refeição ou petisco. Há vários estandes com chefs especializados em todo tipo de comida (vai da tradicional portuguesa passando por pizza, sushi, etc.) além de grande variedade de alimentos frescos, orgânicos, vinhos e conservas.

7

À noite, fica bem badalado e as pessoas compartilham as grandes mesas para tomar uma boa sangria ou os drinks com base de Gin, que são a grande pedida do momento.

Vale como sugestão buscar por restaurantes fora do eixo turístico, sabe? As pequeninas tascas oferecem uma comida maravilhosa com preço muito honesto e estão presentes em todos os bairros. É para bater perna e se perder nas ruelas e travessas.

2

E para finalizar o post de hoje vou falar de uma delícia que caiu no gosto não só dos lisboetas, mas dos portugueses em geral: a famosa Ginjinha. Esse licor saboroso derivado de um tipo de cereja, a ginja, é muito tradicional e precisa ser degustado por aqueles que visitam sua terra natal. Há uma bela e pequena loja localizada na Praça do Rossio que fica cheia a todo tempo de turistas curiosos.

8

Depois da degustação, vale o passeio pela belíssima praça para tirar ótimas fotos!

Por Manuela Alarcon

Fotos: Manuela Alarcon

Nenhum comentário » A boa Lisboa – Parte 1

Deixe seu comentário